Dor na Ponta do Dedo: O que é e como tratar o tumor glômico?

A dor na ponta do dedo pode significar uma condição chamada de tumor glômico, e se desenvolve em 90% dos casos sob a unha, e embora seja chamado de tumor, não é perigoso, ou seja, é benigno.

É uma condição relativamente rara e de origem neuro-vascular, cuja localização é na ponta do dedo, sob a unha ou na face lateral do dedo.

Se você sentir uma dor muito intensa na ponta do dedo, que piora sob pressão ou frio, o melhor é consultar um médico especialista em mão, a fim de fazer o diagnóstico e iniciar o tratamento.

Para esclarecer todas as suas dúvidas sobre dor na ponta do dedo, reunimos aqui as principais informações e assim, você pode ter uma ideia se é ou não um tumor glômico.

Dor na Ponta do Dedo o que é?

A dor na ponta do dedo pode ser sinal de tumor glômico, e é muito raro, representando entre 1% a 5% de todos os tumores dos tecidos moles da mão.

É um tumor benigno que tem origem em uma estrutura chamada de corpúsculo glômico, localizado na ponta do dedo, que é uma estrutura vascular que participa do controle do fluxo sanguíneo e regulação da temperatura.

Afeta mais particularmente as mulheres a partir de 40 anos.

Dor na Ponta do Dedo quais as causas?

A causa do tumor glômico, assim como de outros tumores, é espontânea, isto é, não tem relação com um trauma ou uma atividade.

Na verdade, é uma proliferação de células glômicas dos dedos que se situam sob a pele, o que provoca dor.

Se atingir a matriz da unha, há o comprometimento da unha, a qual ficará quebrada.

Como não apresenta características aparentes, o paciente tende a demorar para buscar ajuda, inclusive outras pessoas chegam inclusive a duvidar de sua queixa.

Dor na Ponta do Dedo, quais os sintomas?

O principal sintoma da dor na ponta do dedo é a dor, mas pode ser acentuada por uma pressão ou pelo frio.

Geralmente, a dor é local, mas pode se espalhar para os outros dedos, para a mão ou antebraço.

Alguns pacientes relatam uma dor semelhante a um choque.

Quando o tumor aumenta de tamanho, pode causar deformidade na unha, ranhuras e deslocamentos, pois exerce uma pressão sobre a área responsável pela formação da unha.

Dor na Ponta do Dedo como é o diagnóstico?

O diagnóstico de dor na ponta do dedo é feito pelo médico especialista em mão, e se baseia em exame clínico para observar a área afetada, que pode apresentar uma coloração azulada.

Pode fazer o teste usando a cabeça de um alfinete para localizar o tumor, assim como direcionar uma luz embaixo da unha e observar a presença do tumor.

O médico também pode solicitar uma radiografia ou ressonância magnética, a fim de confirmar o exame clínico e descartar outros diagnósticos, mas também para precisar a localização e tamanho do tumor.

Dor na Ponta do Dedo como é o tratamento?

Existe um único tratamento para tumor glômico: a cirurgia.

A cirurgia  visa remover parte da unha ou completamente, e a seguir, o médico faz uma incisão sobre a região do tumor, possibilitando ressecar a lesão.

É necessário que o médico especialista em mão seja muito detalhista e experiente, de forma  a não causar dano ao crescimento da unha.

Após a cirurgia, o material é encaminhado para análise para confirmar a natureza benigna do tumor.

Dor na Ponta do Dedo, quais complicações?

Existe um risco de hematoma que é absorvido naturalmente pelo organismo, e raros são os casos em que é necessário fazer uma drenagem.

É possível uma recidiva, assim como uma infecção profunda. Nesses casos, talvez seja necessário uma nova cirurgia e um tratamento com antibióticos.

Durante o processo de cicatrização, recomenda-se não fumar, pois pode aumentar de forma significativa a possibilidade de infecção.

Além disso, a cicatriz pode permanecer inchada e sensível durante muitas semanas.

Dor na Ponta do Dedo, qual médico procurar?

O médico indicado para dor na ponta do dedo é ortopedista especialista em mão, sendo habilitado desde o diagnóstico até o procedimento cirúrgico.

Portanto, se você apresentar alguns dos sintomas listados acima, convém não demorar para buscar tratamento, e assim, evitar outras complicações.

Dicas também no Portal Útil