Dedo em Gatilho: O que é, sintomas e tratamentos

Em algum momento, você já se pegou com seu dedo em gatilho, tendo que usar sua outra mão para trazer o dedo de volta ao lugar?

É uma doença muito frequente que se manifesta por bloqueios intermitentes ou completos do tendão flexor, às vezes acompanhados de dor.

Para quem tem dedo em gatilho, sabe como é incômodo, pois acontece nos momentos mais imprevistos.

Mas se você ainda não sabe muito bem porque isso acontece, vamos explicar tudo em detalhes, e assim, você já vai saber quais medidas tomar.

O que é dedo em gatilho?

O dedo em gatilho, também chamado de tenossinovite estenosante, é uma das queixas mais comuns recebidas por um médico ortopedista especialista em mãos em seu consultório.

Caracteriza-se por um fenômeno de bloqueio intermitente do tendão flexor, e acontece quando esse tendão fica preso em sua polia na base do dedo.

Pode também se manifestar por dores isoladas, ou um bloqueio completo do dedo em flexão ou em extensão.

Recebe esse nome porque o paciente, ao realizar a flexão do dedo ou polegar, apresenta uma posição semelhante ao do disparo de um gatilho, que ocorre de maneira súbita e dolorosa.

Em casos mais graves, o dedo pode permanecer travado na posição de flexão.

Para você entender como acontece esse mecanismo: os tendões, no seu trajeto até a ponta dos dedos, eles passam por túneis, chamados de polias.

Quando há uma inflamação, o tendão fica maior do que o tamanho do túnel, e assim, a dificuldade de dobrar e esticar o dedo.

O dedo em gatilho pode ser classificado em quatro graus:

  • Grau I – pré-gatilho: quando não há bloqueio, mas dor e edema na polia A1;
  • Grau II – ativo: há o bloqueio, no entanto, o paciente consegue estender o dedo;
  • Grau III – passivo: há o bloqueio, porém, o paciente não consegue estender o dedo, precisando do auxílio da outra mão;
  • Grau IV – contratura: há a contratura fixa do dedo.

Quais as causas do dedo em gatilho?

As causas possíveis do dedo em gatilho são diversas, e a mais comum é devido a uma inflamação da bainha sinovial que envolve o tendão flexor.

Essa inflamação pode dar origem a um nódulo no interior do tendão que vai progressivamente constituir um obstáculo mecânico para o movimento do dedo.

Também pode aparecer após a cirurgia do túnel do carpo, mas não é uma complicação.

Atividades que exigem movimentos repetitivos ou preensão forçada podem aumentar o risco do desenvolvimento do dedo em gatilho.

Às vezes, a causa pode ser um reumatismo, e em casos mais raros, uma lesão do tendão flexor ou um aspecto genético.

Mais frequente em mulheres, especialmente durante a gravidez e menopausa.

Dedo em gatilho: conheça os sintomas

No início, a pessoa pode sentir um desconforto na base dos dedos, na palma da mão ou no polegar, e a área pode ficar dolorida ao toque ou até ser sentido um nódulo.

Na maioria das vezes, a dor é mais intensa pela manhã, além dos seguintes sintomas:

  • Travamento do dedo;
  • Limitação no movimento de um ou mais dedos;
  • Inchaço;
  • Aumento de voluma na base do dedo;
  • Dor na palma da mão ou na base dos dedos.

Embora afete com mais frequência os dedos anelar, médio e polegar, pode acometer outros dedos.

Com a progressão, esse travamento piora, a ponto de a pessoa não conseguir nem mesmo segurar um objeto.

Como é feito o diagnóstico de dedo em gatiho?

O diagnóstico é baseado no exame clínico, onde o médico ortopedista especialista em mão vai avaliar o histórico do paciente, assim como os sintomas, a intensidade da dor, etc.

Talvez possa solicitar uma ultrassonografia apenas para confirmar o diagnóstico ou descartar algum outro tipo de doença.

O tratamento para dedo em gatilho pode em um primeiro momento ser a infiltração de corticoides, no entanto, não podem ser muitas porque a cortisona pode fragilizar o tendão e causar uma ruptura.

Quais os tratamentos para dedo em gatilho?

Em casos mais leves, repouso, uso de gelo no local e uso de órtese para deixar o dedo em posição de extensão pode resolver.

Agora, se esse tipo de tratamento não surtir o efeito desejaso, é indicado a cirurgia, que consiste em uma incisão mínima para abrir destravar os tendões por meio da remoção das aderências causadas pela inflamação, o que libera a bainha sinovial.

Há também a opção de liberação percutânea, que consiste em cortar a polia que está travando o tendão, no entanto, não é muito usada pois não é possível ver claramente os tendões e articulações.

Na maioria das vezes, a pessoa consegue movimentar ativamente o dedo logo após a cirurgia, é claro respeitando o limite de cada um.

O principal objetivo do tratamento é eliminar a trava e possibilitar o movimento completo do dedo, de forma que o tendão deslize suavemente.

Como é a recuperação após a cirurgia de dedo em gatilho?

A cirurgia pode ser feita com anestesia local ou bloqueio, e geralmente nem é preciso ficar internado no hospital.

A reabilitação total ocorre entre dois e três meses, dependendo das condições individuais de cada paciente, e é essencial seguir todas as orientações do médico e é bom consultar um nutricionista para ter certeza de como se alimentar bem no pós operatório. 

A fisioterapia é indicada para ajudar a reforçar a musculatura dos dedos e da mão.

Então, se você está sentindo dores nos dedos ou um dedo específico está em gatilho, procure um médico das mãos para avaliar o que está acontecendo e indicar o melhor tratamento.